Bem Vind@s a Des@lienação

Sem Pretensões […]

Arquivos Mensais: março 2011

Metades

 

 

‘Chega de metades, vivamos o completo…

Cada um significando á sua maneira.’

#CulturaParaTod@s

@garebua

Anúncios

Quando as imagens falam …

[ Minha felicidade depende do SEU sucesso ]

 

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

 

Palavras não descreveriam o que sinto, não hoje.

 

 

 

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

Princípio Ativo

Hoje uma curtinha, afinal é Sábado (inspiração #ModeOFF)

 

 

 

”Quem dera Fossemos

Ainda como no Reino Vegetal

Com uma propriedade medicinal

Cada qual”

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

Apatia social [ terrorismo das flores ]

 

As vezes me embrulha o estômago…

Por outras Lamento

Lamento ver a apatia social construída por um esquema (?!) [ modelo ] muito bem pensado.

É pena deixarmos vulgarizar conceitos com0: política, ecologia, saúde, holos, educação, manipulação… Corrupção!

Me surpreende (ainda bem!) tanta ambiguidade

Sei que não posso esperar nada, de ninguém

Mas entendo que a lógica do ser ‘humano’ é a interação criativa.

Vamos a luta, de forma criativa, uma guerra de flores seria terrorismo [?!]

Poético então somente.

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

 

Sobre a Reinvenção [ diária e constante ]

 

A idéia inicial de ter um Blog me veio porque sinto necessidade de compartilhar coisas (quem não sente ?!) mas que coisas (pensamentos/ sentimentos) eu QUERO (e acrescentaria á alguém!?) compartilhar?

Assistindo á TV dia desses (canal aberto num sábado á tarde), a atriz Debora Secco (não vou verificar se é assim que escreve o nome, isso não importa, pelo menos pra eu!) soltou a seguinte frase ao comentar sobre o sucesso de ‘Bruna Surfistinha’ – ‘As pessoas são o que podem ser, e não o que querem ser’ […] –

Concordo em partes com a afirmação da atriz (!), concordo que as pessoas são o que podem ser, mas além disso, possuímo a incrível capacidade de reinvenção de nós mesmos.

Não nos damos conta disso até ‘voltarmos’ as raízes, não falo como Sra. da verdade, [eu gostaria de saber toda a verdade …] mas como alguém que hoje sentiu o quanto se reinventou e não tinha notado como isso é natural, ou melhor, é a seleção natural da humanidade!

Freud* explicou (ainda explica e COMO!) muitos comportamentos, sentidos, mas a reinvenção aconteceu sem ser analisada… Diria até que, é num solavanco que se reinventa.

A importância de se reviver algo que se vive tod@s os dias com olhar/ sentimento/ e até mesmo julgamentos despidos de toda e qualquer velha impressão.

[ e o MINC querendo voltar ás raízes!? Não, isso seria enraizar e não reinventar! ]

#CulturaParaTod@s

@garebua

 

reinvenção (e-i)
(re- + invenção)
s. f.
1. Acto! ou efeito de reinventar.
2. Reformulação ou recriação de algo que já existe.

Conheça a Licença Creative Commons

 

 

 

 

 

#CulturaParaTod@s!

 

@garebua

Qual a diferença entre o sim e o não?

Incrível ser alguém, com aquela velha,

e boba mania de sonhar pequenas epifanias

Mas lembrando o que perdeu

O que não tem

O que pode ganhar

Só que tempo não tem […]

O que é paixão?

O que é o amor?

Uma (s) bobagem (ns) qualquer (quaisquer)

Queira ou não, mera ilusão passageira

Tente sentir o sabor que tem

Bata tudo no liquidificador

O tempo não dá tempo á ninguém

Qual a diferença entre o sim e o não?

Suponho que nenhuma

Suponho que  entender isso não seja uma questão de inteligência e sim de sentimento,

De entrar em contato…

Ou toca, ou não toca.

#CulturaParaTod@s

@garebua

Homologando

 

A espécie humana vem mudando (mutando)

de homo sapiens a homo erectus a homo logus

de homo logus a

hetero logo factus […]

Seria Evolução?

 

Adaptação!

ou até mesmo

 

[ ho.mo.lo.gar: transitivo direto – Conformar-se com. ]

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

 

 

Estive pensando nos (des) encontros […]

[ (http://migre.me/3Ylb0) Gestalt. Parte do princípio de que o objeto sensível não é apenas um pacote de sensações para o ser humano, pois a percepção está além dos elementos fornecidos pelos orgãos sensoriais. Fundamentam-se nas afirmações de Kant de queos elementos por nós percebidos são organizados de forma a fazerem sentido e não apenas através de associações com o que conhecemos anteriormente. ]

 

Encontros, as vezes desencontrados

A presença, está na atenção 

E nisto há o que é (ou seria é o que há!?)

Dentro e fora um elo em combustão (ou erupção)

De fogos, aqueles de artifício

Convertendo dados em códigos numa dimensão poli…

Até bem além, eu diria…

De cores, sons e formas [saiamos do senso comum] e sons, e ventos…

Uma teia

Ligando Eu, Você e Todo O mundo

Ora… Antes tudo do que nada

Não temos mais essa escolha [entre]

O Nós somado ao mar de Eu’s

Quem menos quiser

(Deixaria salvo numa memória)

Viemos TOD@S de encontro

Um por um, especialíssimos

Por mais imperfeito que sejamos

Com a magnificência pura

Em cada gesto singelo

Nos aproximamos cada vez mais

Partes e Todo.

 

#CulturaParaTod@s

 

@garebua