Bem Vind@s a Des@lienação

Sem Pretensões […]

Arquivos da Categoria: #Culturaparatod@s

‘O Amor é quando a gente mora um no outro’

 

Fechei os olhos para não te ver /

e a minha boca para não dizer… /

E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, /

e da minha boca fechada nasceram sussurros /

e palavras mudas que dediquei… /

O amor é quando a gente mora um no outro.

[ Mário Quintana ]

#CulturaParaTod@s

@garebua

Anúncios

PURGATÓRIO

 

 
[ vimeo http://www.vimeo.com/22917985 ]

PURGATÓRIO (João Filipe Silva e Pedro Miguel Silva)

Hoje é um dia diferente.

Liberto-me da escravidão da rotina e, curiosamente, não sinto receio da mudança. Depois de tanto tempo imerso na solidão, sinto-me preparado para iniciar uma nova etapa.

Preparar-me para sair tornou-se um ritual. O sobretudo tem um efeito reconfortante imediato compensando, de certa forma, o incómodo de envergar a protecção visual - a mais importante, o escudo que protege os olhos do efeito corrosivo da atmosfera. Faço isto há demasiado tempo mas ocorre-me que tudo passou rápido demais. A atmosfera rarefeita parece-me, pela primeira vez, estranhamente agradável. Começa a parecer-me bela.

As consequências da catástrofe reflectidas na paisagem continuam a impressionar-me mesmo depois de todo este tempo. Principalmente a desolação do cenário. Não obstante, é incrível aregeneração da natureza ocupando agora o espaço outrora moldado pelo homem.

Depois do apocalipse o tempo parece ter parado, o purgatório apagou a chama da promessa divina. O castigo parece-me agora tão apetecível como a redenção. Deus esqueceu-se de mim.

Mas a mudança começa dentro do meu ser. Tudo me parece mais claro quando me aproximo do objectivo. Emociona-me pensar neste último balão: será especial, mais do que todos os outros que já voaram das minhas mãos rumo ao desconhecido, ambicionando chegar a outro alguém igualmente perdido ou apenas só.

O trajecto aleatório do balão é uma analogia perfeita da minha própria condição. Opto pela incerteza do fim sobre a certeza desta monotonia solitária.

E à medida que o efeito do veneno se tornar evidente, um último espasmo de felicidade percorrer-me-á o corpo.


                                                                                                     #CulturaParaTod@s
 @garebua




ps. Não sei pq mas o vídeo não quer 'aparecer', clique no link, dá na mesma :)

 

 

 

 

 

 

 

 

3ª Conferência Municipal de Políticas de Juventude – Sorocaba SP

Acontece sábado,  3 de setembro  com inicio ás  09:00 hs a 3ª Conferência Municipal de Políticas de Juventude – Sorocaba SP

 

 

Cronograma:

 

Credenciamento às 9 horas
Abertura às 10 hs
Encerramento às 17 horas

Para jovens de 15 a 29 anos

CONQUISTAR DIREITOS, DESENVOLVER O BRASIL!

Serão discutidos cinco eixos para a juventude:
– Direito ao desenvolvimento integral;
– Direito ao Território;
– Direito à experimentação e qualidade de vida;
– Direito à Diversidade e à vida segura;
– Direito à participação.

Participe! Exerça seus direitos!

Participe também nas Pré-Conferências Regionais de Juventude:
serão cinco: zona industrial, zona leste, zona sul, zona norte e zona oeste de Sorocaba.
datas e locais a definir.

 

 

Participem@s!

@Culturaparatod@s

@garebua

Duas IMPORTANTES conferências acontecem em Sorocaba neste sábado!

Neste sábado, acontecem concomitantemente duas importantes conferências em Sorocaba: Das mulheres, na Câmara Municipal e LGBT, no Núcleo Ufscar (ETC) (Sta Rosália) as 8h.

Seguem:

III Conferência Municipal de Políticas para Mulheres de Sorocaba 20 de agosto, das 8h às 17h na Camara Municipal de Sorocaba. Inscrições no CEREM (Centro de Referência da Mulher)-Rua Armando Sales de Oliveira, nº 231, Trujillo – Fone: (15)3233-6643 coordamulhersorocaba@yahoo.com.br

 

 

I CONFERÊNCIA MUNICIPAL LGBT DE SOROCABA – Sábado (20), ás 8:00 no Núcleo ETC Ufscar (Rua. Maria Cinto de Biaggi, 130, Santa Rosália)

 

 

 

#CulturaParaTod@s

@garebua


#Prosa – Prosa Patética – (Viviane Mosé)

 


Prosa Patética  – (Viviane Mosé)
Nunca fui de ter inveja, mas de uns tempos pra cá tenho tido.
As mãos dadas dos amantes tem me tirado o sono.
Ontem, desejei com toda força ser a moça do supermercado.
Aquela que fala do namorado com tanta ternura.
Mesmo das brigas ando tendo inveja.

Meu vizinho gritando com a mulher, na casa cheia de crianças,
sempre querendo, querendo.
Me disseram que solidão é sina e é pra sempre.
Confesso que gosto do espaço que é ser sozinho.

Essa extensão, largura, páramo, planura, planície, região.
No entanto, a soma das horas acorda sempre a lembrança
do hálito quente do outro. A voz, o viço.

Hoje andei como louca, quis gritar com a solidão,
expulsar de mim essa Nossa senhora ciumenta.
Madona sedenta de versos. Mas tive medo.
Medo de que ao sair levasse a imensidão onde me deito.
Ausência de espelhos que dissolve a falta, a fraqueza, a preguiça.

E me faz vento, pedra, desembocadura, abotoadura e silêncio.
Tive medo de perder o estado de verso e vácuo,
onde tudo é grave e único. E me mantive quieta e muda.
E mais do que nunca tive inveja.

Invejei quem tem vida reta, quem não é poeta
nem pensa essas coisas. Quem simplesmente ama e é amado.
E lê jornal domingo. Come pudim de leite e doce de abóbora.

A mulher que engravida porque gosta de criança.
Pra mim tudo encerra a gravidade prolixa das palavras: madrugada, mãe, ônibus, olhos, desabrocham em camadas de sentido,
e ressoam como gongos ou sinos de igreja em meus ouvidos.

Escorro entre palavras, como quem navega um barco sem remo.
Um fluxo de líquidos. Um côncavo silêncio.
Clarice diz, que sua função é cuidar do mundo.
E eu, que não sou Clarice nem nada, fui mal forjada,
não tenho bons modos nem berço.

Que escrevo num tempo onde tudo já foi falado, cantado, escrito.
O que o silêncio pode me dizer que já não tenha sido dito?
Eu, cuja única função é lavar palavra suja,
nesse fim de século sem certeza?

Eu quero que a solidão me esqueça.

 

@garebua

#CulturaParaTod@s

Juventude do PT de Sorocaba realiza planejamento estratégico [ 23 de Julho de 2011 ]

 

A juventude do Partido dos Trabalhadores de Sorocaba (JPT Sorocaba) realizou no dia 23 de Julho, no diretório municipal do PT,  seu 2º Planejamento estratégico para o ano de 2011. O objetivo do planejamento é constituir uma agenda programática para a juventude petista visando se viabilizar como uma força política de esquerda na cidade.

Além de estabelecer um mapeamento dos vários segmentos que a juventude do PT já atua e poderá atuar, está sendo elaborado juntamento um calendário cultural e de formação política, diversificado com cine clubes, debates temáticos, inserções culturais e lazer. O planejamento contou com a presença de um dos integrantes da UNE, o Gabriel Landi Fazzio.

O objetivo da Junventude do PT é atrair uma quantidade maior de jovens para construir juntos  um projeto político alternativo para a cidade de Sorocaba,  capaz de transformar a realidade social dos mais pobres, ampliar a democracia e fazer uma cidade socialmente mais justa e culturalmente mais rica.

Via – Juventude&Política • Juventude do PT de Sorocaba realiza planejamento estratégico! http://bit.ly/mWLhhO

 

@garebua

#CulturaParaTod@s

[ Post Convite ] – Lei de Incentivo à Cultura é discutida em audiência pública em Sorocaba

 

Hoje, terça dia 05 de Julho o verador Izidio De Brito Correia  (Sorocaba) está chamando á tod@s para audiência pública ‘Lei de Incentivo à Cultura em Sorocaba’ – Bora galera, vamos fazer o movimento ‘pós-rancor’ e impulsionar mais esse nicho (cultura) que é esquecido pela gestão pública de Sorocaba. Cultura não é (só) espetáculo, é formação! #CulturaParaTod@s!

 

 

O Convite:

Segundo o parlamentar (vereador Izídio de Brito Correia), foram inúmeras as manifestações de insatisfação recebidas da categoria artística da cidade quanto à Linc, o que o resultou na necessidade da realização da audiência pública. “Com a discussão, pretendemos rever e discutir junto daqueles que entendem das necessidades e que, muitas vezes, sofrem por conta dos problemas na Lei”, explica.

Uma proposta de mudanças na Lei apresentada pelo diretor teatral Flávio Melo será analisada durante a audiência pública, entre outras sugestões dos participantes. Já confirmaram presença o presidente da Comissão de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba, Werinton Kermes, e artistas de diversos segmentos da sociedade.

 

 

 

#CulturaParaTod@s

@garebua

A rebeldia dos jovens que nos faz tanta falta [ Emir Sader sobre as dinâmicas juvenis e a organização dos partidos ]

Entre tantas frases estimulantes e provocadoras que as rebeliões populares no mundo árabe e agora na Europa, essencialmente protagonizada por jovens, fizeram ecoar pelo mundo afora, a que mais nos incomoda – com toda razão – é aquela que diz: “E quando os jovens saíram às ruas, todos os partidos pareceram velhos.”

Aí nos demos conta – se ainda não tínhamos nos dado – da imensa ausência da juventude na vida política brasileira. O fenômeno é ainda mais contrastante, porque temos governos com enorme apoio popular, que indiscutivelmente tornaram o Brasil um país melhor, menos injusto, elevaram nossa auto estima, resgataram o papel da política e do Estado.

Mas e os jovens nisso tudo? Onde estão? O que pensam do governo Lula e da sua indiscutível liderança? Por que se situaram muito mais com a Marina no primeiro turno do que com a Dilma (mesmo se tivessem votado, em grande medida, nesta no segundo turno, em parte por medo do retrocesso que significava o Serra)?

A idade considerada de juventude é caracterizada pela disponibilidade para os sonhos, as utopias, a rejeição do velho mundo, dos clichês, dos comportamentos vinculados à corrupção, da defesa mesquinha dos pequenos interesses privados. No Brasil tivemos a geração da resistência à ditadura e aquela da transição democrática, seguida pela que resistiu ao neoliberalismo dos anos 90 e que encontrou nos ideais do Fórum Social Mundial de construção do “outro mundo possível” seu espaço privilegiado.

Desde então dois movimentos concorreram para seu esgotamento: o FSM foi se esvaziando, controlado pelas ONGs, que se negaram à construção de alternativas, enquanto governos latino-americanos se puseram concretamente na construção de alternativas ao neoliberalismo; e os partidos de esquerda – incluídos os protagonistas destas novas alternativas na América Latina -, envelheceram, desgastaram suas imagens no tradicional jogo parlamentar e governamental, não souberam renovar-se e hoje estão totalmente distanciados da juventude.

Quando alguém desses partidos tradicionais – mesmo os de esquerda – falam de “politicas para a juventude”, mencionam escolas técnicas, possibilidades de emprego e outras medidas de caráter econômico-social, de cunho objetivo, sem se dar conta que jovem é subjetividade, é sonho, é desafio de assaltar o céu, de construir sociedades de liberdade, de luta pela emancipação de todos.

O governo brasileiro não aquilata os danos que causam a sua imagem diante dos jovens, episódios como a tolerância com a promiscuidade entre interesses privados e públicos de Palocci, ou ter e manter uma ministra da Cultura que, literalmente, odeia a internet, e corta assim qualquer possibilidade de diálogo com a juventude – além de todos os retrocessos nas políticas culturais, que tinham aberto canais concretos de trabalho com a juventude. Não aquilata como a falta de discurso e de diálogo com os jovens distancia o governo das novas gerações. (Com quantos grupos de pessoas da sociedade a Dilma já se reuniu e não se conhece grandes encontros com jovens, por exemplo?)

Perdendo conexão com os jovens, os partidos envelhecem, perdem importância, se burocratizam, buscam a população apenas nos processos eleitorais, perdem dinamismo, criatividade e capacidade de mobilização. E o governo se limita a medidas de caráter econômico e social – que beneficiam também aos jovens, mas nãos os tocam na sua especificidade de jovens. Até pouco tempo, as rádios comunitárias – uma das formas locais de expressão dos jovens das comunidades – não somente não eram incentivadas e apoiadas, como eram – e em parte ainda são – reprimidas.

A presença dos jovens na vida publica está em outro lugar, a que nem os partidos nem o governo chegam: as redes alternativas da internet, que convocaram as marchas da liberdade, da luta pelo direito das “pessoas diferenciadas” em Higienópolis, em São Paulo, nas mobilizações contra as distintas expressões da homofobia, e em tantas outras manifestações, que passam longe dos canais tradicionais dos partidos e do governo.

Mesmo um governo popular como o do Lula não conseguiu convocar idealmente a juventude para a construção do “outro mundo possível”. Um dos seus méritos foi o realismo, o pragmatismo com que conseguiu partir da herança recebida e avançar na construção de alternativas de politica social, de politica externa, de politicas sociais e outras. Os jovens, consultados, provavelmente estarão a favor dessas politicas.

Mas as mentes e os corações dos jovens estão prioritariamente em outros lugares: nas questões ecológicas (em que, mais além de ter razão ou não, o governo tem sistematicamente perdido o debate de idéias na opinião pública), nas liberdades de exercício da diversidade sexual, nas marchas da liberdade, na liberdade de expressão na internet, na descriminalização das drogas leves, nos temas culturais, entre outros temas, que estão longe das prioridades governamentais e partidárias.

Este governo e os partidos populares ainda tem uma oportunidade de retomar diálogos com os jovens, mas para isso tem assumir como prioritários temas como os ecológicos, os culturais, os das redes alternativas, os da libertação nos comportamentos – sexuais, de drogas, entre outros. Tem que se livrar dos estilos não transparentes de comportamento, não podem conciliar nem um minuto com atitudes que violam a ética publica, tem que falar aos jovens, mas acima de tudo ouvi-los, deixá-los falar. Com a consciência de que eles são o futuro do Brasil. Construiremos esse futuro com eles ou será um futuro triste, cinzento, sem a alegria e os sonhos da juventude brasileira.


Postado por Emir Sader às 05:06 – – Carta Maior – Blog do Emir Sader – A rebeldia dos jovens que nos faz tanta falta http://bit.ly/iQmvCx

#CulturaParaTod@s

@garebua

COMPOSIÇÃO DAS MESAS TEMÁTICAS no I Encontro dos Movimentos Sociais e Sindicais de Sorocaba e Região – Ufscar

COMPOSIÇÃO DAS MESAS TEMÁTICAS

– Mesa 1: “Relações de trabalho”

. mediador: Profa. Dra. Kelen Christina Leite

. palestrantes:

– SindiQuinze (José Edson de Oliveira);

– Sind. dos Metalúrgicos (Prof. Geraldo Titotto Filho – Assessor de Formação e ex-presidente do Smetal Sorocaba);

– SINTUFSCar (Laerte Guimarães – associado e integrante do Comando de Greve – Sind. dos Funcionários Técnico-Adm);

– APEOESP (Tânia Padilha);

– Sind. dos Psicólogos (Leandro de Campos Fonseca);

– Sindicatos dos Agentes Penitenciários (a confirmar);

– Sind. dos Médicos (a confirmar);

– SindiSaúde (a confirmar);

– Mesa 2: “Saúde”

. mediador: Profa. Dra. Adriana Caldeira

. palestrantes:

– Sind. dos Médicos (Dr. Ismael);

– MAHPS – Movimento de Apoio à Humanização do Parto em Sorocaba (Gisele Leal – Bióloga, Doula, Ativista pela humanização do parto, micro-empresária);

– Sind. dos Psicólogos (Lúcio Costa);

– ATHUS (Celso Aparecido Fattori Junior);

– FLAMAS (Sérgio Augusto Garcia Jr.);

– Sind. dos Metalúrgicos (Dr. Paulo Kaufmann – Mestre em Sociologia do trabalho, Diretor do Instituto Síntese, Médico do trabalho do smetal Sorocaba);

– Cons. Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba (Regina Vieira Pedrozo Presidente da Associação Raizes, membro do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba);

– Assoc. Afro “Avante Zumbí” (Maria Aparecida Costa – líder Comunitária, membro das Promotoras Legais, coordenadora e representante da Assoc. Afro “Avante Zumbi” do Núcleo de Sorocaba entre 2007/2009);

– SindSaúde (a confirmar);

– Mesa 3: “Educação”

. mediador: Prof. Dr. Antonio Fernando Gouvêa da Silva

. palestrantes:

– Escola e Cultura em Foco (Antonio Zardos);

– APEOESP (André Mazzini);

– Rasgada Coletiva (Rafael Ferraz: Educador, Músico e Planejamento de Arte-Educação do Rasgada Coletiva);

– Cons. Mun. de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba (Mariana Martha – Projeto Cultural Quilombinho);

– Sind. dos Metalúrgicos (Paulo Gil – Assessor Smetal Sorocaba);

– Assoc. Afro “Avante Zumbí” (Susana Maria de Oliveira – profa. do Ensino Médio – Geografia, História e Educação Física -, liderança comunitária);

– UNE (a confirmar);

– Mesa 4: “Meio Ambiente”

. mediador: Prof. Dr. André Cordeiro Alves dos Santos

. palestrantes:

– SOS ECO (Francine Peres Gonzales Pinto, Bióloga do Projeto SOS-ECO);

– GTA Jerivá (Lucelia Matilde Ferrari);

– CEADEC (Rita de Cássia Gonçalves Viana – Presidente do Ceadec);

– CORESO (José Augusto Rodrigues de Moraes – Presidente da Coreso);

– NEMA (a confirmar);

– Mesa 5: “Cultura e comunicação”

. mediador: Profa. Dra. Teresa Mary Pires De Castro Melo

. palestrantes:

– Rasgada Coletiva (Ari Holtz: Psicólogo, produtor cultural e Planejamento / Sustentabilidade Rasgada Coletiva);

– Ação Periférica (Marcio Brown: Arte-Educador, Presidente da Associação Ação Periférica e do Conselho Municipal da Comunidade negra de Sorocaba, Criador do projeto Nossa Cara Preta, Rapper, Militante do Movimento Negro e Hip Hop);

– CUFA (Claudia Raphael de Oliveira – coordenadora estadual da CUFA SP, Produtora Cultural);

– Escola e Cultura em Foco (Marcelo Nascimento);

– Associação Cultura Votorantim, Associação Sócio Cultural de Áudio Visual de Votorantim Francisco Beranger e TV CELA (Werinton Kermes);

– Sind. dos Metalúrgicos (Paulo Rogério Leite de Andrade – Jornalista e Assessor de Imprensa do smetal Sorocaba);

– Associação ‘Academia Nacional’ de Capoeira” (Eduardo Alves Santos – Mestre Falcon – Presidente da “Associação ‘Academia Nacional’ de Capoeira”);

– Culturama (Renata Braga);

– Ação Cultural Votorantim (a confirmar);

– AntiComodismo (a confirmar);

– Grupo de Maracatu – UFSCar (a confirmar);

– Grupo de Maracatu Leão da Vila (a confirmar);

– Mesa 6: “Movimento Estudantil e Juventude”

. mediador: Profa. Dra. Viviane Melo de Mendonça

. palestrantes:

– UNE (Sandino Patriota Coelho – Vice-presidente da UNE);

– DCE Uniso (Jadson Fernandez);

– SOS Clube do Nais (Miriam Yasuda – Coordenadora do Projeto);

– PJ (Wellington dos Santos França);

– PJMP (Flederson Assis do Nascimento);

– Sind. dos Metalúrgicos (Leandro Cândido Soares – Dirigente sindical, membro do coletivo de Juventude do smetal Sorocaba, Secretário de Juventude da CNM/CUT – Confed. Nacional dos Metalúrgicos da CUT);

– Domínio Público – oposição de esquerda da UNE (Carolina Filho);

– UJR (Thais Domingos dos Santos Rodrigues – Militante da União da Juventude e Rebelião e graduanda em Geografia na UFSCar-Sorocaba);

– Resistência (Mariana Mendes – membro do Resistência);

– Ação Periférica (Marcelo de Souza Silva: produtor Cultural, Rapper e militante do Hip Hop);

– CUFA (Maria de Fátima Pires dos Santos – coordenadora CUFA Sorocaba/SP); Escola e Cultura em Foco (Cleiner Micceno);

– PJE (Karina da Costa Fazolo);

– Mesa 7: “Diversidade e igualdade racial”

. mediador: Prof. Dr. Marcos Roberto Vieira Garcia

. palestrantes:

– Ação Periférica (Jaqueline Lima Santos: Mestranda em Ciências Sociais/Antropologia pelo Departamento de Ciências Sociais da UNESP – Marília Militante do Movimento Negro e Hip Hop);

– Cons. Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba (Darci Camargo de Mendonça);

– Mandala (Rafael Romão);

– Grupo Diversidade (Jefferson Adriano Valladares);

– Associação Afro “Avante Zumbí” (Carlos dos Santos Penha),

– Centro Cultural Quilombinho (Rosangela Cecília da Silva Alves);

– Mesa 8: “Luta por Moradia e questão fundiária”

. mediador: Profa. Dra. Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira

. palestrantes:

– PJMP (Marcio Ferreira da Silva);

– Quilombo dos “Carmargos” (Edson Correia – presidente do “Quilombo);

OBS: as Mesas 8 + 9 serão realizadas no mesmo espaço!

– Mesa 9: “Direitos Humanos e assistência”

. mediador: Profa. Dra. Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira

. palestrantes:

– Sind. dos Agentes Prisionais (João Rinaldo Machado – presidente do Sindicato);

– SOS (Vanderlei da Silva – Gerente Adm e Financeiro);

– UNIONG (Regina Medeiros – Diretoria  Executiva da  UNIONG – União  de  Organizações  Não-Governamentais);

– Cons. Municipal de Assistência Social (Reinaldo Yassuo Hashimoto, presidente do Conselho);

– PLENU (Iara Bernardi);

– Sociedade Pode Crer (Marta Maria Meirelles – Psicóloga e fundadora);

“Associação ‘Academia Nacional’ de Capoeira” (Pedro Teodoro de Oliveira – Mestre Pedrinho);

– Pastoral do Idoso (Jurandy Fonseca – Coordenador da Pastoral dos Idosos da Paróquia Nª Sª Consolata de Votorantim);

– OAB Votorantim (a confirmar).

I Encontro UFSCar – Movimentos Sociais e Sindicais de Sorocaba e Região

O I Encontro UFSCar (Campus Sorocaba)-Movimentos Sociais e Sindicais de Sorocaba e Região tem o objetivo geral de conhecer a história e a realidade vivida pelos movimentos sociais e sindicais de Sorocaba e região e articular parcerias entre os movimentos e a UFSCar no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão.

O I Encontro encontra guarida no PDI da UFSCar – Diretrizes Gerais: “Promover a inserção do ensino, da pesquisa e da extensão da UFSCar no esforço de compreensão e busca de soluções para problemas nacionais, regionais e locais da realidade brasileira” e “Garantir livre acesso ao conhecimento produzido e armazenado na UFSCar, ampliando e diversificando os meios disponíveis”, com vistas a “Fortalecer a inserção local e regional da Universidade, buscando parcerias com outras instituições públicas e privadas no desenvolvimento e apoio de ações […].”

A presente proposta também está afinada com os princípios do Campus de Sorocaba da UFSCar, pois o I Encontro aqui proposto pretende criar as condições para que a Universidade seja “[…] promotora de valores democráticos e da cidadania”, promova o “Livre acesso ao conhecimento” e articule a “Indissociabilidade de ensino, pesquisa e extensão.

Organizadores UFSCar

Coordenação: Prof. Dr. Marcos Francisco Martins

Docentes articuladores

– Adriana Caldeira
– André C. A. dos Santos
– Antonio Fernando Gouvêa da Silva
– Bárbara Cristina Moreira Sicardi Nakayama
– Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira
– Fernando Silveira Franco
– José Marcos Nayme Novelli
– Kelen Christina leite
– Marcos Roberto Vieira Garcia
– Pedro Caldas Chedarevian
– Teresa Mary Pires de Castro Melo
– Viviane Melo de Mendonça

Discentes articuladores

– Júlio Cesar Francisco
– Rodrigo Belaz Grando
– Raphael de Sousa Gibim
– Patrícia Carvalho Araújo
– Taís D. S. Rodrigues
– Verônica Dionísio Bonatto

Organizadores dos Movimentos Sindicais e Sociais

  • Ação Periférica – Bárbara N. Santos
  • CEUNSP – João José de O. Negrão
  • CRP – Sérgio A. Garcia Júnior
  • Cuidar da Profissão – Leandro Fonseca
  • Michel S. Mansano
  • PLENU – Instituto Plena Cidadania – Iara Bernardi
  • Sindicato dos Psicologos do Estado de São Paulo – Lucio Costa
  • Rasgada Coletiva – Ari Holtz
  • AntiComodismo – Kim Walachai
  • CEADEC
  • APEOSP